quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

RPGista, marginalizado pela sociedade?

No começo de novembro eu levantei uma questão sobre a discriminação ao jogador de RPG, então fiz uma pergunta que levei para vários jogadores e mestres. A questão era:

Você, como RPGista, considera-se um marginalizado pela sociedade?

No tópico Primeiras opiniôes é possível ler as respostas de algumas dessas pessoas. Na verdade, acabou ficando de fora a resposta de Cassiano Oliveira, da Liga RPG, um dos organizadores do Dia D RPG em Fortaleza. Eu não acrescentei antes porque esperava chegar mais algumas respostas, mas estas não vieram, então eu acrescentei a resposta dele no tópico Mais Opiniôes

Contabilizando as opiniões, temos uma impressão geral que das 18 pessoas que responderam, 16 não se consideram marginalizadas e 2 sim.

Além disso, eu também abri uma enquete aqui no blog com a mesma pergunta. Segue abaixo as respostas possíveis e o número de pessoas que as escolheram.

Sim, sou perseguido pela sociedade sem direito a resposta. (0 votos)

Não é bem assim, há preconceito por parte de alguns, mas não me sinto perseguido. (10 votos - 58%)

Não, eu jogo RPG normalmente e não tenho problema algum com isso. (7 votos - 41%)

Qual a conclusão que pode-se tirar disso?

Na minha singela opinião (que somente tem destaque aqui porque o blog é meu!), não considero o RPGista um marginalizado pela sociedade. Até porque para isso acontecer deveríamos ser reconhecidos pela sociedade para podermos ser colocados de lado. E não é por um ou outro caso isolado que pode-se criar uma regra a respeito. Eu moro na Bela Vista desde o começo do ano e já encontrei por aqui dois conhecidos meus que não moram no bairro. É correto afirmar que meus amigos vivem frequentando o bairro? Eu detesto sair de casa com guarda-chuva, então volta e meia acabo me molhando. É correto dizer que sempre que saio sem guarda-chuva acaba chovendo?

Nossa sociedade É preconceituosa! Inclusive nós, RPGistas! O preconceito atinge homossexuais, negros, mulheres, pessoas de várias religiões... enfim, há marginalizações de vários tipos. E em relação a nós? O que realmente pega?

2 comentários:

KoutzUra disse...

Yes, we are!

Mesmo que minha namorada seja descendente de negros. (e de russos, e de italianos, e de sabe-se lá mais o quê...)

Não que tenha alguma coisa a ver, mas preconceito contra negro é o mais "popular" que tem.

newtonrocha disse...

Bem EU é que discrimino a sociedade! hahaha! Nesse lance, já passei por apertos principalemtne na época do caso Ouro Preto, mas aqui em BH é assim, se vocêê não joga RPG em público ninguém te discrimina! :)