sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Quem deixou os trolls saírem?


Você é um idiota!

Sim, você que está lendo este blog é um idiota!

Não, isto não é um conto ou uma piada! É apenas uma afirmação, e digo mais! E muito mais. Se você fosse alguém com um mínimo de capacidade cerebral estaria lendo qualquer outra coisa que não este blog de um babaca de meia idade que é acompanhado por gente como você que lê estas bobagens...

OK, já chega! Para você que continuou o texto, peço desculpas pelo que leu, caso tenha se ofendido. Minha intenção não era essa. Mas antes de continuar, pare e pense um pouco em como se sentiu ao começar a ler um texto que sem mais nem menos começa a agredir-lhe gratuitamente? Pare e pense alguns segundos nisso...



Bem, continuemos então. De forma alguma eu quis ofender qualquer um que estivesse lendo meu blog. Apenas quis suscitar em você uma sensação inicial desagradável propositadamente para melhor exemplificar o que quero abordar. É possível que algumas pessoas tenham parado de ler nas primeiras linhas e agora estejam espalhando como sou uma pessoa grosseira, desagradável, preconceituosa, mentirosa, intriguista, incitadora de confusão etc. Por que tantos adjetivos se nem todos estão relacionados ao que escrevi anteriormente? Continue lendo...

O intuito de tudo isto é demonstrar o que acontece quando sem nenhum aviso você abre seus e-mails ou entra em um forum ou comunidade e sem mais nem menos encontra ofensas gratuitas no texto que esta lendo. E não é a questão de uso de linguajar chulo, e sim a clara intenção de ofender, agredir e execrar pessoas em um meio de comunicação maciço com o conhecimento ou não do alvo das críticas. Inclusive o termo "crítica" é usado em um tom bem amplo, pois chamar alguem de escroto, babaca, retardado e outras denominações é crítica do quê? E baseado em que conhecimento? Uma ofensa justifica ser seguida de uma sequência de outras não-relacionadas?

A lista da Área RPG é um exemplo do que excesso de liberdade resulta. Frequentada por vários desafetos de Marcelo Telles da RedeRPG, não é raro alguma polêmica ser levantada por algum comentário e isso terminar em ofensas pessoais. Essa lista professa uma interessante liberdade de expressão que alguns aproveitam ao extremo. Embora não tenha acesso a essa informação de facto, é nítida a impressão que algumas pessoas preferiram sair da lista diante dessa situação. Alguns amigos meus que também estão nela já disseram que o teor desta também já perdeu o viço, ou seja, já perdeu a graça! Se não é um ou outro post para atacar Marcelo Telles, D&D 4 edição ou o modo "certo" de jogar RPG, os interesses visivelmente diminuem. Talvez devessem mudar o nome para Strike RPG?

Hmmm, certo, vamos deixar as piadas para quem sabe fazê-las...

Por outro lado, isso não quer dizer que sou contra listas de discussão(numa das acepções do Houaiss, discussão pode significar debate, polêmica, em que cada participante defende pontos de vista opostos). Tanto que frequento váááárias, embora em algumas nunca tenha postado. A lista da Área é composta por um pessoal bem interessante que tem gerado discussões envolventes. Apenas creio que há formas mais adequadas de se tratar pessoas do que simplesmente "ah, fulano é um imbecil completo!" ao tecer alguma crítica ao trabalho de outra pessoa.

Interessante também perceber que alguns dessas indivíduos que se dizem adeptos do franco diálogo não permitem que o mesmo tratamento seja dispensado a sua própria pessoa. Quem perambula pelo mundo virtual (e não só do RPG) vai lembrar de pelo menos um caso ou dois em que alguem contestado em suas declarações tenha reagido de modo visceral. Trocando em miúdos, concorde com minhas críticas, mas não me questione a respeito do porquê destas. E isso não se restringe a parte "amadora" de nosso cenário...

Quem é que decide o que pode ser dito ou não? Por que X pode falar abertamente que Y é isso ou aquilo, mas Z não pode contestar X? Quem designou que X é o dono da palavra? O fato de termos liberdade de expressão então nos redime de qualquer falta de respeito a pessoa que nos é desafeto? Lei do velho oeste, então, parceiros! Atire primeiro e não deixe ninguém em pé para argumentar o contrário...

E aí? Quando isso para? Quando é definido o quanto já foi suficiente? Sim, eu posso deletar o e-mail daquele cara que não gosto, mas isso é algum tipo de permissão tácita a qualquer ofensa que ele ache divertido fazer, apenas "porque ele pode"?

Eu já estive envolvido em algumas dessas polêmicas. E sei que há uma maioria que permite um diálogo civilizado mesmo entre posições totalmente divergentes de pontos de vista. Mas, em minha singela opinião, realmente incomoda os trolls correndo por
aí, mesmo que sejam uma minoria. Acham que o mundo é só deles e que ninguém responde suas observações porque são cercadas de méritos e incontestáveis. Bem, os trolls não são conhecidos por sua grande inteligência, n'est-ce pas?

Como? Certo, com certeza há pessoas que não dão a mínima para qualquer coisa que se leia por aí. Talvez seja bem melhor ficar falando mal daqueles que criticam o RPG sem saber o que ele é. Isso sim é uma atitude mais sensata, pois nós não incorremos no mesmo erro, não é? Quem de nós ligaria se um texto qualquer começasse a nos ofender gratuitamente, com ou sem motivo? Pois afinal somos pessoas sensatas, não?

Lembra como comecei esse texto?

Pense nisso!

14 comentários:

Jaime Daniel disse...

Quando ia postar essa matéria, achei esta ilustração que pensei em colocar, mas acho que seria um pouo... adulta demais.

De qualquer forma, fica aqui o link!

http://www.ratemyeverything.net/post/10298/Motivator_Trolls.aspx

Crianças, não façam isso em casa! :) Isso é coisa de troll!

KoutzUra disse...

Buá, sou um idiota! =(

Eu já experimentei um pouco disso (digo "um pouco" porque meu tempo na internet eu gasto trabalhando ou procurando joguinhos online... mas antigamente eu fazia parte de uma mailing list de anime).

O interessante não é apenas as ofensas, mas uma contra-argumentação sem base (algo como "é assim porque tenho razão" e não por algum motivo "concreto") e a distorção do que a outra parte disse (de repente, do nada, começaram a falar que eu ofendi uma terceira pessoa que não tinha nada a ver com a coisa).

Uma das discussões era se o mangá Blade of the Immortal era melhor que Vagabond (eu estava "defendendo" Vagabond não porque achava "melhor", mas porque eu gosto mais. Na verdade, detesto Blade of the Immortal). Enquanto eu dizia "gosto por isso e por aquilo", "não gosto por isso e por aquilo", a outra parte dizia que não tinha nada a ver, que Blade era mais animal e et cétera, que eu só tava falando asneiras... E ficava só nisso. Não falavam nada sobre o traço, sobre a trama, sobre a profundidade dos personagens... É como se dissessem "Matrix é melhor que Senhor dos Anéis porque Matrix é animal e Senhor dos Anéis é chato".

Embora digam que "gosto não se discute" (na verdade, se discute sim), acho que uma "argumentação" (se é que dá pra chamar disso) baseado exclusivamente em "gosto" não é válido. Tem muita coisa que eu acho bom mas não gosto.

Anyway, desculpe-me encher o coment com um texto tão pobre. É que sou um idiota mesmo. =P

Daniel Yokomizo disse...

Eu acompanho a Área RPG e sei exatamente do que você está falando, mas eu geralmente não me sinto agredido pelas agressões verbais que rolam por lá (sabe aquela parábola zen onde o mestre pergunta de quem é o presente que te ofereceram se você não aceitou?). Essa semana num blog de economia que eu leio saiu uma frase ótima para exemplificar como eu penso sobre esse assunto:


When I see people writing sentences of this kind, I imagine them pressing a little button which makes them temporarily less intelligent. Because, indeed, that is how one's brain responds when one employs this kind of emotionally charged rhetoric.

As you go through life and read various writers, I want you to keep this idea of the button in mind. As you are reading, think "Ah, he [she] is pressing the button now!"



A outra ilustração (o motivator) é, digamos, interessante, mas a "Do not Feed the Trolls" tem mais a ver com o assunto.

Jaime Daniel disse...

Salve Tadashi!

São as agruras de viver em sociedade. Eu sei que isso não vai acabar e também não quero posar de santo, (pois estou mais para baixo que para cima, se é que me entende...), mas também exerço o MEU direito de me expressar...

Salve Daniel!
Esse parábola eu não conhecia, mas achei perfeita, assim como a citação. Espero rever vc na outra semana, pois já estou de saída para viajar. Bo fim de semana a todos!
E lembranças para a Gabi!

E obrigado por aparecerem!

guerrasdraconicas disse...

Felizmnete nunca entrei em brigas desse estilo, acho por que não costumo falar o nome das pessoas diretamente elas não se sentem alvo das criticas construtivas sobre o assunto. Entendeu Jaime?



Esse vocativo do Jaime foi só pra apresentar como o texto muda de sentido quando se coloca o nome de outro no meio :)

spider.neo disse...

Hehe. Um problema de falta de "netiqueta". Mandam msgs pra ofender a um e tem 200 recebendo e sendo obrigado a ler aquilo. E esquecem o bom-senso junto com a netiqueta! Não faço parte dessa lista mas tô vendo rolar algo parecido numa que participo (os flames começaram qdo alguém disse q Crepúsculo era um livro ruim).

Às vezes Liberdade de Expressão e Falta de Moderação andam lado à lado.

Johnny disse...

Muito bom o texto. Parabéns, Jaime!
Já me envolvi em um briga com o Telles, pois o lado pessoal prevalece em tudo, mas enfim... Adorei o texto.

PS - Adorei o novo layout. Está tudo bem melhor organizado.

Jaime Daniel disse...

Salve!

Rodrigo: Você tem razão! Mas gosto de pensar que uma pequena parcela da humanidade tem autocrítica e é capaz de identificar-se com o texto e se policiar. Já fiz muita bobeira na internet, mas osu um exemplo de burro velho que ainda consegue aprender truques novos...

Flávio: Você aqui! Surpresa boa...
No dia que escrevi o texto (as pressas, como podem perceber...) eu fui fazer uma busca e vi um texto em inglês com o mesmo nome que este (ou eu fiz o texto com o nome traduzido...)e não fazia idéia que o termo era largamente utilizado. Como eu disse antes, burro velho...
O pouco que li sobre netiqueta me fez pensar que muita coisa ali é puor bom senso. Aí é que esta o problema...

Johnny: valeu, mas nem gostei tanto assim do texto, eu poderiadesenvolver mais a idéia...hmmm... ceeeeerto!
Sobre o layout, sou um Neanderthal com um teclado na mão e aprendo devagar... :)

Abçs e obrigado a todos por terem aparecido!!!

Rogerio disse...

Sabe, tem duas coisas que eu acho muito curiosas na internet (e nas discussões de listas e fóruns especificamente):
Uma delas é a falta de consciência da responsabilidade que acompanha a liberdade de expressão.
Todo mundo tem o direito de dizer o que pensa, mas tem a responsabilidade assumir as consequências do que disse. É impressionante como tem gente que fala besteira, não justifica nada, e quer ser respeitado porque aquela é a opinião dele e ponto. Oras, se falou (ou escreveu), está assumindo que deve aceitar conversar educadamente com as pessoas que não concordam com o que disse. E aceitar que sua opinião PODE SIM estar errada.

A outra coisa que me incomoda, é a falta de reciprocidade. Muita gente acredita que os seus argumentos estão certos, mas sequer ouvem o dos outros. Ele pode argumentar e discutir, os outros não. São essas pessoas que logo de cara taxam os contrariam, saindo completamente do tópico para desmerecer quem os contraria. Parece que a discussão é uma batalha onde vale tudo.

Acho que é por isso que eu cansei de listas e fóruns, onde já fui ofendido e xingado por besteira. Tento gastar meu tempo com meu trabalho e meus projetos, acho mais produtivo.

Um abraço.
Rogerio Saladino

Jaime Daniel disse...

Bravo, Rogério!

Disse tudo!

Grande abraço e obrigado por ter aparecido!

MC Zanini disse...

Tem gente que chama de troll, eu vou de sininho-plus-pus. Hehehehe.

Beijocas, amor.

Jaime Daniel disse...

Essa é o meu amor... e mãe da Raíssa Alexandra!!!

fabiosooner disse...

"Embora não tenha acesso a essa informação de facto, é nítida a impressão que algumas pessoas preferiram sair da lista diante dessa situação."

Olá, alguém me chamou? :D

(Isso já foi informação "interna" no passado para preservar a paz, mas meses depois acho que já posso falar: a falta de regras e, pior, a exaltação deste estado de coisas, foi um dos motivos mais importantes de eu ter largado a lista.)

Engraçado ter visto este post hoje, justo quando estava conversando sobre algo parecido com a minha esposa (que anda frequentando nada mais, nada menos do que comunidades sobre... sistemas políticos no Orkut!).

E estava falando pra ela justamente o seguinte: isso é algo que só vejo em listas de discussão e fóruns brasileiros. Só aqui "não ter regras" e, de alguma maneira, evitar que a coisa descambe demais é motivo de orgulho. Em listas/comunidades/fóruns gringos recém-criados, ainda sem regras estabelecidas, se algo do gênero acontece a grande maioria dos envolvidos rapidamente aponta como eles têm sorte, porque isso - ter uma comunidade funcional mesmo sem regras - é normalmente impensável. E, rapidinho, se arregimenta algumas diretrizes gerais, sejam elas restritas ou abertas, para conduzir a coisa toda.

A Área RPG, assim como muitas listas/comunidades à brasileira, são o equivalente internético da casa da mãe joana. E, sinceramente, eu não confio em ninguém que apóie este tipo de configuração em qualquer tipo de comunidade séria, que tenha algum objetivo. Pode ser que a Área no fundo, no fundo, não se proponha a nada - mas aí eu tenho pena de quem gasta o verbo tentando levar discussões altamente elaboradas (porque elas existem, admito) para não chegar a lugar algum.

Ufa, acho que falei demais. Mas enfim.

Jaime Daniel disse...

UIA! O Sooner!

Fala, velho (ok, ok, eu sou mais velho...)!

Bom te ver por aqui, e confesso que escrevi isso também pensando em você.

Grande abraço e obrigado por passar aqui!