quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Pesquisa Role Playing Game: estudo do perfil do jogador de RPG.

Saudações!
Por favor, leiam atentamente o texto e, se acharem interessante, ajudem na pesquisa!

abçs a todos e obrigado



A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e em parceria com a Lvdvs Cvltvralis, desenvolveu a pesquisa Role Playing Game: estudo do perfil do jogador de RPG.
O objetivo dessa pesquisa é trazer evidência científica sobre o perfil dos jogadores de RPG, a fim de se combater a informação ilegítima contra o hobby.
Para tanto, precisamos de sua colaboração. Basta acessar o link http://biocomp.epm.br/rpg e responder ao questionário do estudo.

Obrigado,

Diego Adão F. Silva
(pesquisador da UNIFESP)

7 comentários:

Leonardo T. disse...

Boa! Vou participar!

Paulo_Segundo disse...

Olha, comecei a responder esse questionário, mas parei na metade.

Sinceramente, não concordo com muita coisa q está ali, principalmente nas perguntas das partes 4 e 5.

Jogo RPG sim, e não sou bandido nem um desajustado social, nem tive "crises de choro" essa semana...

Parece que quem fez esse questionário está fazendo um questionário sobre emos, e não sobre RPGistas.

E ainda, a base de dados deles está desatualizada, só existe a opção de sistema storyteller, que já acabou há 5 anos. Ainda existe muita gente que joga, tudo bem, mas já existe o Storytelling há 5 anos.

Fail...

Jaime Daniel disse...

Paulo, vc já doou sangue?

Vc viu o tipo de perguntas que é feito?

O objetivo do questionário é verificar a incidência de problemas entre os jogadores de RPG, e essas perguntas são feitas de forma inclusive de que se a pessoa quiser fraudar as respostas isso seja detectado através das respostas. Claro que vc não é bandido e nem nada do gênero mas isso tem que ser percebido através das respostas. Não adianta colocar nome, idade e dizer "sou jogador de RPG a x anos. Uma pesquisa assim EU não levaria a sério.

E sim, a pesquisa esta desatualizada na questão storyteller, mas isso realmente faz diferença numa pesquisa com objetivo clínico?

Como poderemos provar que o jogador de RPG é normal física, mental e socialmente, se ficarmos com melindre de responder questões honestas?

Se o d3 perguntasse para mim "Jaime, quero montar uma loja de rpg com vc! Vc é honesto?" e eu respondesse "recuso responder questões sobre isso!" que imagem ele teria de mim?

Calma e reflita!

abçs

fda disse...

Tá, tô participando, mas me diz ae.... alguma notícia do Call of Cthulhu?

Ismael disse...

Como assim só existe a opção Storyteller? É só clicar em outros e digitar absolutamente qualquer sistema.

Namárië disse...

Primeiramente eu gostei muito de ler essa divulgação. Mas quando fui responder o questionário fiquei terrivelmente decepcionada.

A pesquisa é tendenciosa, mal escrita e completamente incompreensível. Parece que ela quer mostrar que jogos de RPG são jogados por bêbados deprimidos e vagabundos, pessoas obesas mórbidas ou com qualquer outro distúrbio alimentar e baixa auto-estima.

Acho que não faz sentido esse blog apoiar uma pesquisa falha como essa... É praticamente vergonhosa, me senti ridícula respondendo questões se meus pais sabem que eu jogo RPG e se eu pedi permissão pra isso!!! Sendo que eles jogam comigo!!! ¬¬

Seria melhor fazer a pesquisa antes de divulgá-la dessa maneira (e sim avisando que ela tem destino a pessoas com problema clínico, o que não é o meu caso).

Jaime Daniel disse...

ai, ai!

Cara Namarië

Boa parte do que já respondi pro Paulo Segundo se aplica também a vc.

Eu JÁ respondi o questionário! E já estou interado como são feitas diversas pesquisas em diferentes áreas. Ao contrário de alguns MUITOS RPGistas, eu fui me informar sobre o que estava ocorrendo. Eu lidei com a área de RPG e educação desde 2003 até 2008 ininterruptamente! Eu falei com o pesquisador sobre o assunto durante horas e entendi sobre o que tratava a pesquisa, mesmo que ambos discordássemos sobre um ou outro ponto, mas nada de caráter vital.

É interessante a paranóia que se instala na mente dos jogadores de RPG. Se alguém levanta e me pergunta se sou marginal, eu respondo que não! Ponto final! Não faço uma cruzada santa dizendoq eu sou um perseguido pela sociedade, etc, etc.

Se a intenção da pesquisa é:

"Nosso objetivo é, inicialmente, traçar o perfil do jogador de RPG brasileiro sob um enfoque clínico e epidemiológico para, então, traduzir em dados qualitativos e quantitativos a realidade por trás do jogo."

Está claro então? Como isso é possível?

"Com isso, lançando-se mão de evidência e argumentação científica, pretendemos contribuir com o esclarecimento de todas as pessoas que tenham interesse em conhecer esse hobby e seus participantes, partindo-se do raciocínio de que a desinformação é primórdio de preconceito."

está claro? Ou seja, se todos os jogadores responderem que não tem problemas, então fica muito claro que NÃO HÁ problemas entre os jogadores, ou que no máximo a incidência de pessoas com problemas entre jogadores é igual a entre os não-jogadores!

Mas a pesquisa que muitos estão procurando parece ser algo assim:

1) RPG é algo legal para você?
R. Sim, RPG é muito legal!!!

Resultado da pesquisa: 108% dos jogadores disseram que RPG é algo muito legal, então RPG é o mÁXIMO!!!!!


ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ!!!!!!!!!!!!!


Não dá, sorry!

E o objetivo, público alvo e outras coisas que parecem não estar sendo entendidas por muitos, estão bem claras no texto. Quem realmente quiser ler vai achar!

E sempre há o comitê de ética para recorrer
http://biocomp.epm.br/rpg/rpg.html

Mas talvez seja melhor esquecer, afinal que intituição chinfrin é essa, esse tal de Unifesp?
http://www.unifesp.br/index.php

abraços